compartilhar:

As reações de uma criança contrariada

Atitudes e mudanças no comportamento mostram que todos estamos propensos á esse quadro.

Uma criança quando contrariada, pode apresentar várias reações diante  de uma situação, e o interessante é que o organismo dela  também apresenta reação diante da contrariedade. Não só uma expressão corporal ou verbal, através de choro, grito, mais principalmente  expressões que vem à partir do seguimento do corpo.

 

Isso tudo nós conseguimos entender quando estudamos as reações biológicas. Entenda!  Uma criança que esta passeando, e passa em frente á uma loja de brinquedos que expõe uma linda vitrine com brinquedos coloridos, os mais bonitos e chamativos aos seus olhos, perceba que os brinquedos que estão no alcance das crianças, são os mais caros, justamente um atrativo de compra. Mas você estava na calçada andando com a criança e ela quer um brinquedo que está na vitrine.

 

Ela diz:” Papai, eu só vou olhar”… e quando você entra com ela na loja, aí o encantamento fica maior com o brinquedo.

 

De perto esse brinquedo fica atrativo, e na cabecinha dela que tem 3 aninhos, 4 aninhos, é essencial sair da loja com aquele brinquedo, pois  houve um contato visual quando ela olhou  pela vitrine, e se aconteceu um contato manual, quando  ela pegou na mão, sinestésico, então aquilo já foi registrado como uma necessidade de vida dela e esse brinquedo vira uma necessidade.

 

A partir daí a criança não enxerga, não consegue ver a possibilidade de ir embora da loja sem aquele brinquedo, porque agora virou uma necessidade absoluta e se o pai ou a mãe falam que não poderão comprar aquele brinquedo vem o famoso choro, reações de contrariedade, pois para ela é adquirir aquele brinquedo é muito importante.

 

O que acontece quando uma criança tem uma contrariedade importante?

Não é sempre, mas é muito comum uma criança gerar argumentos  por expressões do tipo: “Mas papai eu quero, compraaaa, mãeeee compraaa…” Uma tentativa instintiva que muda quando essa estratégia não funciona transformando-se em choro e logicamente bem alto, isso foi uma mudança de estratégia.

 

Tudo isso é inconsciente, é tudo instintivo, ela mudou a estratégia de negociação para uma tentativa de persuasão e está tentando convencer verbalmente, não por palavras, mas por expressão do grito, e do choro que vem lá da garganta.

 

Por enquanto essa é a segunda estratégia da criança, e se essa estratégia não funcionar, o que acontece em seguida é que a criança comece a tossir e os estudos mostram que ela está tentando convencer verbalmente á conversão de uma situação… ou seja… de contrariedade e passar para satisfação. Olha que impressionante os trajetos biológicos que uma criança passa diante de uma contrariedade:

 

Primeiro eu tenho um argumento verbal… “papai eu quero!” ” Você compra? Aí a resposta é não!!

 

Depois vem a segunda estratégia que é o choro, o grito! E ele é mais alto, mais intenso… é o plano B, e quando ela percebe que não funcionou, a criança vai para o terceiro plano que é a tosse, uma tosse laríngea, que ainda faz parte de um convencimento verbal… Essa é a última chance verbal da criança, de negociação.

 

Não funcionou o choro, o grito, e nem uma tosse laríngea, o que vem depois?… Uma tosse brônquica forte,  que sai direto do peito e isso acontece por que  agora ela está tentando dissuadir, pois toda vez que nós temos uma tossi a região por onde ela acontece (peito e garganta) tem a função de dissuadir, é isso que o leão faz quando emite um rugido, ele tenta dissuadir alguém que está invadindo seu território, ou ele tenta dissuadir um adversário, dentro de um possível embate de conquista ou defesa de território.

 

Então nesse momento a criança mudou a estratégia, definitivamente, pois no início a criança adota 3 estratégias que são relacionadas á parte verbal mais que só aumenta o grau de intensidade, agora já não é mais aqui na garganta, agora  a estratégia ela  é bronquia… é por isso que nesse grau de contrariedade existe essa estratégia de acionar o brônquio, e quando acionado a criança começa a tossir profundamente vinda lá de dentro do peito, uma estratégia muito profunda e arcaica, mais que  muitas vezes funciona.

 

E se essa estratégia ainda assim não funcionar, vem o grau máximo de expressão de contrariedade dentro do que é vital para ela, e depois de tanta estratégia biológica se a criança continua tendo um não como resposta, ela acaba tendo um vomito, pois ela não consegue se imaginar chegando em casa sem aquele brinquedo e mais, ela não consegue sequer imaginar saindo da loja sem aquele brinquedo.

 

Nós adultos temos a possibilidade de mudar esses quadros e se caso a contrariedade aconteça conosco, é preciso tentar argumentar verbalmente, talvez não estejamos chorando e gritando, mais internamente isso também acontece conosco.

 

Então as reações das crianças  nos ajudam a entender as nossas próprias reações, pois podemos não estar chorando  diante de um emprego que eu está nos contrariando, mas internamente eu penso:” Poxa, lá vou eu novamente para aquele trabalho, até quando eu vou viver nessa situação; não vejo a hora de me aposentar”.  Existe aí um fator de contrariedade muito importante que verbalmente você não consegue resolver, então você está chorando simbolicamente todos os dias ao reclamar para ir trabalhar. E mais do que isso, você começa a apresentar uma pequena tosse, que fica na garganta, dando a desculpa que está com pigarra, ainda dá a desculpa que é o tempo seco, que é porque você fuma.

 

Diante da contrariedade você começa a encontrar desculpas que sobrepõe ao fator causal, uma contrariedade que está descendo e você tem que engolir um sapo por dia para conseguir se manter vivo, para conseguir sobreviver. Você não está vivendo, você está sobrevivendo, além disso se essa contrariedade persiste, você pode desenvolver alguma coisa relacionada á seus brônquios.

 

Isso quer dizer que você está tentando conquistar ou defender um território, mas suas atitudes estão sendo  ineficazes, pois seu corpo está tendo que expressar um conflito, por que todas as vezes que temos um sintoma existe um conflito atuante ali, um conflito que ainda não achou uma resolução. É  o caso da criança, por mais que argumentasse ela não conseguia resolver o conflito.

 

Sabemos que com as crianças  podemos elaborar algumas soluções, podemos tentar oferecer alguns outros brinquedos, o importante é que você consiga distraí-la pois verbalmente você não vai conseguir convence-la, é preciso primeiramente mudar o foco para coisas interessantes, seja um sorvete, seja um passeio, seja algo mais em conta, precisamos ser criativos e mudar o foco dessa criança, pois para ela, adquirir aquele brinquedo é vital, por isso temos que criar situações que tirem ela desse foco, tirar dela essa necessidade de toda vez que passar em frente a uma loja, ela querer um brinquedo.

 

Nós adultos precisamos ter a  consciência de que estamos dentro de  um cenário que gera contrariedade, que causa em você sintomas dolorosos como um processo inflamatório que irrita sua garganta nas cordas vocais, essa ação não está sendo suficiente para mudar e resolver a sua contrariedade, seja ela uma tossezinha ou uma tosse brônquica, seja até uma pneumonia.

 

Tendo a consciência que você está dentro de uma situação que gera contrariedade constante, é uma auto responsabilidade tomar atitudes sobre essa contrariedade. Você precisa sair do trabalho?… não necessariamente, você precisa sim enxergar o por que você precisa se manter no trabalho e à partir dessa consciência que ficar dói mais do que sair, você precisa alimentar o que te faz permanecer nesse trabalho, ou ainda  procurar outras formas de remuneração, permanecer ou não no trabalho e a própria atitude de estar buscando algo que vá ao encontro de uma situação já mostra para seu organismo que você está se movimentando, movimento é vida!!

 

Precisamos de ações  que nos façam sair dos nossos conflitos, ou que pelo menos nos faça ter uma impressão de que estamos saindo do conflito pois quando iniciamos essa ações ás vezes é só uma questão de tempo para chegarmos a uma resolução.

 

Como obter resultado de um conflito que agora é consciente?

 

É preciso  eliminar os sintomas que o organismo está expressando, e toda vez que você passar com seu filho em frente á uma loja de brinquedo ou se você  apresentar sintomas de contrariedade, tenha consciência e criatividade para resolvê-las e à partir do momento que você já sabe de onde veio esse sintoma de contrariedade, é uma escolha e uma auto responsabilidade tomar uma AÇÃO!!!!

 

 

 

 

 

compartilhe:

Avenida Brasil, 658 - Centro - Urânia/SP - CEP: 15760-000